2 Primeiros Passos para Ser Um Nômade Digital

Hoje vou falar sobre o que é ser um Nômade Digital e os Dois Primeiros Passos para ser Um.

Conteúdo deste Post no Youtube:

Nômade Digital

Para começar os esclarecimentos, vou dizer logo de cara: Nômade Digital, não é uma profissão. Ou seja, quando alguém te perguntar o que você faz da vida, você não vai simplesmente dizer que é Nômade Digital.

O Nomadismo Digital é um estilo de vida, que aliado a uma forma de trabalhar online, te dá mais liberdade de tempo e localização.

Em resumo, o Nômade Digital aproveita as facilidades da tecnologia – Internet e tudo mais que a era Digital tem para oferecer – para trabalhar online e viajar ao mesmo tempo.

Então, se ele viaja, ele é um mochileiro, Fran?
A resposta para isso é um grande NÃO!

Um mochileiro é, basicamente, uma pessoa que tem pouco dinheiro para uma viagem, e por isso, a viagem dele é mais curta.

Tem Mochileiro que tem muito dinheiro? Sim, sempre tem exceções, mas no final a ideia principal é a mesma: uma pessoa que coloca algumas poucas coisas essenciais em uma mochila, e faz uma viagem mais econômica e mais curta.

É uma vida cheia de boas experiências, mas ele sempre vai voltar para a casa dele, pois isso apenas tira dinheiro do bolso.

Ser mochileiro não é um negócio.

Imagine: Você consegue se ver fazendo uma viagem de quinze dias, para conhecer pelo menos uns três destinos diferentes, dormindo em quartos compartilhados em Hostels, apenas uma mochila simples, fazendo rotas para conhecer os lugares e ainda trabalhando para ganhar dinheiro?

Pois é, meio corrido e estressante, não é?
Então acredito que já podemos cortar o “Mochileiro” das características do Nômade Digital.

O Nômade Digital tem um trabalho remoto ou um negócio próprio. Por isso, ele passa mais tempo nos lugares para onde viaja. Ele praticamente se torna um local, parte da comunidade.

Ele tem uma rotina, para manter a produtividade. Se o dinheiro para viver depende apenas dele – e não de um patrão no caso de ele possuir um negócio próprio – não tem como deixar de fazer algumas coisas, ou ficar procrastinando, certo?

Então, haverá dias em que ele ficará preso ao computador, trabalhando.

Pois é. Não se engane: os dias na praia, como você vê nas fotos, são menos frequentes do que as propagandas
de cursos tentam te fazer acreditar.

Quê isso, Fran! Mas assim você está destruindo o meu sonho!

Não, não estou! Estou te falando a verdade, porque o que mais vi por aí foi gente chegando lá, e simplesmente descobrindo que a coisa toda envolve muito mais do que um notebook e uma praia.
E o projeto Jornada Nômade Digital tem a missão de mostrar tudo, e isso inclui as amarguras da realidade 😉

Mas então, o que fazer?

Bem, diferente do que alguns dizem por aí, não saia simplesmente chutando o balde, pedindo demissão, vendendo suas coisas e se mudando para a Tailândia…

O Primeiro passo para ser um Nômade Digital é se estruturar financeiramente.

Se você tem muitas dívidas, como foi meu caso, eu sugiro que você analise sua vida financeira a partir de agora!

Para mim, a forma mais prática de organizar meu dinheiro foi com uma planilha de Excel simples, onde eu colocava meus gastos e minhas receitas, anotando para onde foi cada centavo; mas tenho uma amiga que ainda usa o bom e velho caderninho.

A minha objeção para o caderninho é que ele se torna um volume na bagagem, por isso tento aproveitar o máximo possível do notebook e smartphone.

Porém, nesse começo que você ainda não pôs o pé na estrada, tudo bem! É melhor o caderninho do que o dinheiro descontrolado.

Com esse simples passo, consegui identificar os hábitos que estavam drenando todo o meu poder de compra.
Aprendi a poupar e a investir meu dinheiro para fazê-lo crescer mais um pouquinho.

Você acreditaria se eu dissesse que há um tempo atrás eu gastava quase 200 reais por mês com lanches na rua? Diga-se de passagem: nenhum lanche saudável…

São pequenas coisas muito importantes que lá na frente farão uma grande diferença para você.

Imagine se você precisar desistir do seu sonho, só porque comeu hamburgueres demais, ou comprou dez pares de sapato desnecessários?

Ou talvez você nem precise desistir do seu sonho, mas onde você vai colocar esses 10 pares, além dos outros que você com certeza já tinha antes, quando resolver mudar-se de um lugar para o outro? E a sua saúde para aproveitar a vida nômade? Onde fica com esses hamburgueres?

O objetivo do controle financeiro é minimizar a insegurança no futuro, praticar o consumo consciente e o desapego.

Uma reservinha básica para imprevistos é ótima!
Ou mesmo que não seja um imprevisto, mas você decidir visitar uma cidade distante, e ter dinheiro para isso é tudo de bom, não é verdade?

O segundo passo para ser um Nômade Digital, é definir como você irá fazer isso.

O exercício que eu quero que você faça nesse momento é bem simples: pegue uma folha de papel, feche seus olhos e relaxe.

Esqueça os paradigmas. Esqueça o que seus pais e avós te disseram sobre o que você deveria fazer para se sustentar.
Esqueça a opinião dos outros, o que sua família vai pensar.

Se você não tivesse medo de nada, e se o dinheiro não fosse um empecilho, onde você estaria agora?

Com o que você trabalharia? O que você mais gosta de fazer? Não importa se você acha que não dá para trabalhar com isso agora. Quero apenas que você seja fiel a si mesmo, à sua essência, e responda essas simples perguntas nesta folha de papel.

Agora você é livre, sem medo e sem obstáculos! Se quiser anotar outras coisas também pode!

Essa será sua primeira coordenada na Jornada Nômade Digital!
Você precisa saber onde quer chegar para poder criar uma rota, não?

Espero que você tenha gostado dessas dicas de hoje.

Deixe suas dúvidas e sugestões nos comentários, pois vou adorar ajudar você a realizar esse sonho de liberdade digital.

Obrigada por estar aqui comigo nesse caminho!

Não se esqueça de me seguir lá nas redes sociais e Inscrever-se no canal 😉

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *